Árion Lucas, Lanterna

que susto!

um macaco

esfomeado

descendo

subindo o

cipó sozinho

no meio da

encruzilhada

a galinha

olhos vermelhos

debaixo

da bananeira

choca os ovos

branca nas penas

nesse frio

um gato preto

passa correndo

farfalhando terra

três cães atrás

o dono em guerra

vem resgatar

vestes escondidas

pra ninguém roubar

diz pus óleo

esquentei

coisa e tal

ia jantar

veio a chuva

pum!

caiu assim

do meu lado

mas saímo ileso

foi deus

depois cortei

isso fui eu

fizemo fogueira

mas hoje durmo

na usina

não tem jeito

muita cobra

recuperando

cada toca

sabe o que faço

se uma dessas aparecer?

se me atacar

eu mato

senão vou assim

se não tem? rapaz

mas tem muita

mais até

que as bostas

as garrafas

e o pano

amarelo

dobrado no

galho

com cupins

do cimento

recém-restaurado

preto cremoso

sob o pneu do

pictograma

escorregadio

na placa torta

ao ônibus da seta

as cigarras

entrecortadas

por carros

na lanterna

do imperador

doada ao alto

pelo feudo oriental

em 1957

sob a palmeira

que corre o risco

de apagar

Árion Lucas é um escritor carioca nascido em 1992. Vende zines independentes no bairro Alto da Boa Vista. Publicou os romances Pequenos Sonhos do Tempo (Juagatirica, 2019) e Todos os Fins (Urutau, 2019), os livros de poesia Silêncio a Lapsos (Urutau, 2019) e Casa Praça (Trevo, 2021), a coletânea de contos Espelho de Nuvens Sãs (Amazon KDP, 2019), além de reunir crônicas em arionlucas.medium.com

Instagram: @_arionlucas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s