Múltiplas

Dentro de mim cadeado,

Porta aberta, cárcere privado,

Ventre ancestral do tempo,

Dentro de mim, muralha,

Que a palavra não apaga

Chica da Silva, Marielle, Anita,

Dandara, Pagu, Maria Quitéria,

Maria Bonita.

Dentro de mim cicatriz,

Pele de todas as cores,

Vozes em vários tons,

Chiquinha Gonzaga, Nara, Elis.

Dentro de mim despidas,

Cora Coralina, Carmens, Fridas,

Olhar sem filtro, singular sem fim,

Mulheres que sabem dizer não e sim.

Dentro de mim liberdade,

Cativa de múltiplas Marias,

Sagradas e profanas,

Terezas, Madalenas, Penhas,

Mártires, rainhas, vassalas,

Joana D’arc, irmã Dulce, Malala

Múltiplas que choram e riem

Ramos cortados que insistem em florir.

Dentro de mim cicatriz,

Pele de todas as cores,

Vozes em vários tons,

Chiquinha Gonzaga, Nara, Elis.

Dentro de mim despidas,

Cora Coralina, Carmens, Fridas,

Olhar sem filtro, singular sem fim,

Ramos cortados que insistem em florir.

VALÉRIA PISAURO, natural de Campinas-SP, exerce intensa atividade na arte poética. O requinte de suas poesias prima pela pluralidade de recursos, fruto de pesquisas, onde a variação de gêneros traduz a força e a leveza de um trabalho sofisticamente inovador, transitando com naturalidade entre o rebuscamento e o coloquial. Participa de certames culturais e idôneas antologias poéticas, tendo a felicidade de ter sido premiada em muito deles.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s