Os dedos longuíssimos do tempo

Caio Girão Rodrigues

Todos os lugares que o tempo marcou,

com sua unha de abrir felicidades, apodreceram,

Todos os dedos do tempo,

dedos de fechar alegrias,

cresceram desproporcionais

ao pequeno corpo impotente do tempo,

Todos os olhos do tempo ficaram cegos

no instante em que paramos para pensar o que buscamos,

Todas as forças do tempo explodiram em desespero

quando entendemos quem somos

Caio Girão Rodrigues nasceu em Fortaleza, Ceará. Escreve há dezesseis anos, tendo publicado a novela Meus Escorpiões. Alguns de seus textos aparecem em revistas (como a Travessa em Três Tempos), jornais (como Diário do Nordeste e O Povo) e exposições (como a THMT-18 Rio). Pode ser facilmente encontrado participando de oficinas de escrita criativa. Atualmente vive no Rio de Janeiro, com sua esposa, Juliana, e seu cachorro, Demetrius.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s